Como medir sua dor

Cada um sente e expressa a dor de forma diferente. E é nessa premissa que está a dificuldade do tratamento da dor.
Ela deve ser identificada de forma individualizada, levando em conta múltiplas questões para definir a melhor abordagem a ser seguida.
Por isso, a participação do paciente é essencial. Como a dor é completamente subjetiva e não existem medidas objetivas satisfatórias para medi-la, o relato detalhado é muito importante para o diagnóstico.

A forma mais importante de medir o que você sente é fazer um diário da dor. Assim, por um período, você pode acompanhar a evolução das sintomas. Se ela começa num ponto e se alastra. Se dá a sensação de queimação, martelar, ou como se estivesse sendo perfurado. É importante também escrever sobre duração, periodicidade, intensidade e localização da dor. Anote e depois mostre para o seu médico.

E para ajudá-lo a fazer este relato, reunimos abaixo as escalas mais utilizadas pelos profissionais de saúde para avaliar a intensidade da dor e que poderão auxiliar você a entender e a comunicar melhor sua dor ao médico.

Nível de dor:

Estas é uma das formas visuais mais utilizadas para expressar os níveis da dor. Cada uma destas expressões mostra um nível de dor e pode auxiliar o profissional de saúde a determinar o sofrimento do paciente, especialmente em crianças ou pessoas que não conseguem expressar verbalmente a dor.

Escala dA dor:

O mesmo pode ser feito por meio de cores, que seguem a escala abaixo, indo de zero (verde) a dez (vermelho).

Localização da dor: